Setor de serviços cresce 0,7% em julho, diz IBGE

No ano, o setor acumula perdas de 4,8% e, em 12 meses, de 4,9%.

4ec31f342f7f7f1fcc39cc0b683f387cDO G1

O volume do setor de serviços cresceu 0,7% em relação a junho, segundo informou nesta sexta-feira (16) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Já em relação a julho de 2015, o setor registrou recuo de 4,5%, o maior, para esse mês, desde 2012, início da série histórica.

No ano, o setor acumula perdas de 4,8% e, em 12 meses, de 4,9%.

Na comparação com o mês anterior, cresceram os serviços prestados às famílias (3,2%); outros serviços (1,9%) e serviços profissionais, administrativos e complementares (0,3%). Por outro lado, as atividades turísticas recuaram 0,3% e os serviços de informação e comunicação não variaram.

“Ainda é cedo para falar que é um início de recuperação. Porque começamos a sentir em julho um efeito das Olimpíadas. A partir da segunda quinzena, o setor de alojamento, alimentação e turismo já começa a se beneficiar do evento, mas não foi só isso.  No Rio, não foi férias escolares, mas nos outros estados, https://www.viagrapascherfr.com/achat-sildenafil-mylan-tablet/ foi. Então, teve também incremento do turismo em outros estados que tiveram férias em julho”, analisou Roberto Saldanha, analista de serviços e comércio do IBGE.

Na análise por regiões, as maiores altas partiram de Mato Grosso (3,8%), Pernambuco (2,1%) e São Paulo (1,9%). Na contramão, as quedas foram vistas em Alagoas (-4,7%), no Acre (-3,7%) e na Bahia (-3,6%).

Já na comparação anual, apenas o setor de serviços de Roraima cresceu: 4,1%. As variações negativas mais intensas foram em Rondônia (-14,0%), Amazonas (-12,5%) e Amapá (-12,1%).

RJ recua 1,2% apesar da Olimpíada
Apesar do efeito positivo da Olimpíada sobre a taxa do volume de serviços de todo o país, o estado do Rio de Janeiro fechou o mês de julho com resultado negativo de 1,2% e queda de 6,4%, em comparação com o mesmo mês do ano anterior.

“Nesse impacto negativo, tem que contar com empresas de grande porte que saíram do Rio e foram para São Paulo. Rio tem muitas empresas de prestação de serviços de engenharia que estão sem projeto. A capital pesa, talvez, 70%, mas daí achar que os Jogos Olímpicos vão recuperar a economia do Rio como um todo… Há muitos serviços que estão impactando de forma negativa. E o resultado global é uma compensação de altas e quedas. Um setor sobe, outro cai”, afirmou.

De um mês para o outro, a receita nominal de setor de serviços em todo o país cresceu 1,2% e de julho de 2015 para 2016, subiu 0,3%. No ano, o indicador acumula alta de 0,2% e, em 12 meses, de 0,1%.

Fonte     http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/09/setor-de-servicos-cresce-07-em-julho-diz-ibge.html